Novo currículo de ensino traz mais clareza para professores e gestores



Os professores da rede municipal de ensino participaram, nesta quinta-feira (7), de um encontro formativo para debater o novo Currículo de Ensino da rede municipal. A formação foi realizada na Secretaria de Educação e na Faculdade Anhanguera. Amanhã (8), a formação continua, de maneira a contemplar todas as áreas do conhecimento. Ao todo, participam mais de 1.500 docentes de Educação Infantil e Fundamental, especialistas de Arte e Educação Física, Atendimento Educacional Especializado (AEE) e Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Com a chegada da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), tivemos o desafio de fazer uma adaptação. A rede municipal já possui um trabalho articulado com os princípios que a Base coloca há algum tempo. A base sofreu algumas mudanças e fizemos essas alterações”, afirma o secretário de Educação, André De Francesco, que participou do encontro. Ele observa que Limeira também foi uma das protagonistas da construção do currículo Paulista, participando ativamente. “Desse modo, conhecemos melhor nossa realidade e o novo currículo de ensino.”

Entre as principais mudanças do novo currículo está a maior clareza dos conteúdos e objetivos para cada ano de escolaridade. “O currículo traz, de maneira pontual, quais os conteúdos e objetivos cada ano de escolaridade deve atingir, desde a educação infantil até a educação de jovens e adultos. Isso ficou mais evidente e possibilita maior clareza para o professor em relação ao que ele deve atingir com seu trabalho ao final de cada ano de escolaridade”, explica a diretora pedagógica da Educação, Adriana Capicotto.

Outro movimento é de retomada e progressão – entender que tem conteúdos que começam no primeiro ano, mas vão ser retomados no segundo e consolidados no terceiro, por exemplo”, cita Adriana. Ainda conforme a diretora, alguns conteúdos foram incorporados, principalmente o trabalho com a tecnologia e as mídias digitais. “Vivemos em uma sociedade tecnológica e a escola deve fazer uso dessas tecnologias para favorecer a aprendizagem. É algo que também mudou em relação ao novo currículo.”

A professora de educação infantil no Ceief Rafael Affonso Leite e de educação especial na Emeief Profª Benedicta de Toledo, Gislaine de Cássia Barboza, afirma que o novo currículo vai nortear as ações dentro da escola. “Vai ser muito importante e dará subsídios para nós professores. Nós já tínhamos um currículo, atrelado à BNCC. Aplicamos um currículo melhorado, pois, com o conteúdo da rede, as crianças têm um desenvolvimento muito bom. Então, em cima da base, nós aperfeiçoamos para trabalhar com os alunos”, explica.

REVISÃO

A partir de março, o novo currículo norteará todo o planejamento pedagógico e as avaliações das escolas municipais de Limeira. Segundo Adriana Capicotto, a revisão do plano foi feita ao longo do ano passado a partir da publicação da BNCC, em dezembro de 2017, pelo Ministério da Educação (MEC). A reconstrução do currículo aconteceu em parceria com representantes das escolas e do Conselho Municipal de Educação.

A importância de envolver as equipes da secretaria e das escolas é justamente para trazer a demanda da realidade de cada unidade. O próprio movimento de construção do currículo foi formativo, houve a possibilidade de discutir vários pontos, as escolas trouxeram vários encaminhamentos, que foram incorporados ao documento”, explica Adriana. Segundo ela, o trabalho conjunto favorece o aspecto formativo e o currículo passa a representar o anseio de um coletivo. “O principal objetivo é que esse documento não seja apenas burocrático, mas uma carta de compromisso dos educadores com nossos estudantes.”

A diretora da Emeief Martim Lutero, Diná Dibbern Fischer, destaca que a participação dos professores e gestores nesse encontro está atrelada ao acompanhamento pedagógico nas escolas. “O professor não é um agente meramente administrativo na escola. Ele tem que acompanhar, saber e ver o que acontece no pedagógico. Estar aqui e conhecer a nova base e o currículo é poder entender o que acontece nas salas de aulas”, observa. Para ela, a base, adaptada ao currículo municipal, permite maior desenvolvimento dos alunos. “O currículo de Limeira está além da BNCC. Ele não prevê o mínimo e sim o máximo que meu aluno pode aprender e alcançar.”

Adriana Capicotto afirma que o currículo de Limeira sempre teve a característica de trabalhar na perspectiva do máximo de aprendizagem. “É diferente da base, que coloca a questão do mínimo. Nosso currículo não traz conteúdos mínimos, e sim o máximo possível em termos de aprendizagem que se espera que cada aluno da rede municipal atinja”, frisa. A diretora explica que esse movimento alinha o olhar de todos os educadores na mesma perspectiva. “Isso tem movido o professor a se capacitar mais, em um movimento em conjunto com a secretaria, oferecendo capacitação, a própria unidade, organizando movimentos de formação, e a autoformação do educador.”

André De Francesco salienta que esse momento de formação faz parte de um processo de investimento iniciado na área desde o ano passado. “Criamos o Encontro Municipal de Educação Continuada (EMEC), que será ampliado, e firmamos a parceria com o programa Parceria Votorantim pela Educação (PVE), que veio complementar a formação dos gestores”, cita. Segundo Francesco, a equipe de formação tem um cronograma mais intenso em 2019. “Ao longo do ano, serão cerca de 40 encontros com os formadores,in loco, para tratar de assuntos específicos das dificuldades e da realidade de cada um. O foco está em trabalhar os maiores desafios permanentemente.”, destaca.

Nenhum comentário:

Megamutirão das igrejas acontece no próximo sábado

DENGUE Depois do megamutirão envolvendo servidores municipais, entidades e voluntários, a Prefeitura de Limeira está programando ma...