Visita à barragem mostra condições seguras de operação

SALTO GRANDE

Representantes das prefeituras de Limeira, Piracicaba e Americana foram convidados pela CPFL Renováveis para visitar as instalações da barragem da Represa Salto Grande. O secretário de Obras e Serviços Públicos, Dagoberto Guidi representou o prefeito Mario Botion. “Ver de perto a operação da usina hidrelétrica nos deixa mais seguros. E queremos levar essa tranquilidade à população também. Podemos verificar que as condições de operacionalidade são normais”, cita o secretário.
O convite surgiu após a Rede Bandeirantes divulgar – em rede nacional - uma reportagem de que em caso de um possível rompimento, as cidades de Limeira e Piracicaba seriam “varridas do mapa”. A notícia deixou moradores das duas cidades em pânico. Tão logo a informação foi ao ar, o prefeito Mario Botion adotou várias medidas. Uma delas foi buscar dados junto às agências reguladoras do setor para tranquilizar a população.

A visita monitorada, na sede da barragem, serviu para explicar quais são as condições reais de operação. “Anos atrás tivemos problema em uma das três comportas existentes. Mas colocamos em prática um projeto complexo e que sanou qualquer tipo de falha. Atualmente, a operação é normal”, explica o diretor-presidente da CPFL Renováveis, Fernando Mano. Na época, o problema detectado classificou a usina hidrelétrica como de alto risco. Estamos aguardando agora uma reclassificação por parte da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e Arsesp (Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo). O risco diminuiu e agora é médio, categoria B”, avalia o diretor de operações da CPFL, Adriano Vignolli.

Os diretores ainda explicaram que a barragem é monitorada em tempo real pelo centro de operações, que fica na cidade de Jundiaí. O acompanhamento é feito 24 horas por dia e em todos os dias da semana. Na sede da usina também há funcionários. “A nossa ideia é abrir as portas da usina e mostrar que ela não oferece riscos. Vamos agendar com os vereadores das três cidades e também pretendemos receber o Ministério Público. Mostrar que a barragem não apresenta nenhum problema estrutural, e tranquilizar a população das três cidades”, dizem.
Outra questão é que existe um plano de contingência feito pelos municípios. Trata-se de uma parceria com as defesas civis de cada cidade e a CPFL Renováveis. Limeira tem o seu plano e, em breve, será feito um treinamento com a população ribeirinha (população que vive às margens da represa). “As áreas estão todas mapeadas e já fizemos isso em 2017. Agora, vamos repetir essa ação. O prefeito Mario Botion determinou o envolvimento de todas as secretarias municipais, e é por isso que o plano de Limeira é abrangente”, comenta o secretário de Obras e Serviços Públicos de Limeira.

Nenhum comentário:

Megamutirão das igrejas acontece no próximo sábado

DENGUE Depois do megamutirão envolvendo servidores municipais, entidades e voluntários, a Prefeitura de Limeira está programando ma...